Dez-razões-para-se-estabelecer-na-Belgica-1140-x-500

Dez razões para se estabelecer na Bélgica

Uma vida agradável, num ambiente cosmopolita, com muitas ofertas de trabalho, um bom sistema de saúde e educação, incentivos fiscais e boa alimentação … O que mais se poderia desejar? 

Está chovendo e estou inclinado sobre uma cerveja morna em um café cheio de turistas carrancudos. Depois do meu terceiro Leffe, eu realmente quero ir ao banheiro, mas é guardado por uma senhora de meia-idade feroz: “50 centavos ou sem xixi “, ela estalou para mim. 

Ao voltar para minha mesa, me sinto um pouco tonto, então peço um copo d’água, mas o garçom recusa. Em troca, ele late para mim que a lei proíbe o uso gratuito de água da torneira. Aceito o equivalente em garrafa, a sete euros, e o meu olhar pousa sobre a principal atração turística da cidade, a estátua de um menino que urina. 

Cheguei a Bruxelas em 2009 para assumir um cargo no Parlamento Europeu e fiquei extremamente desapontado. Porém, após dois anos na capital da UE e mais um ano em Antuérpia, descobri que a Bélgica é um grande país com grande riqueza cultural, oferecendo muitas possibilidades de viagens e uma qualidade de vida maravilhosa. 

Um mundo de delícias gastronômicas 

A cerveja é boa, claro, assim como o chocolate. Se você evitar as armadilhas para turistas, como a rue des Bouchers em Bruxelas, onde a comida é notoriamente ruim, um mundo de delícias gastronômicas se abre para você. Vale a pena experimentar o waterzooi, um prato deliciosamente cremoso cozido com frango ou peixe, assim como os croquetes de camarão. 

Mas são as receitas estrangeiras que os belgas cozinham particularmente bem. A Bélgica é um mosaico de nacionalidades, e o macarrão de açúcar mascavo é o mais belo símbolo disso: 17% da população nasceu no exterior, sendo a maior proporção da Itália. 

Multilinguismo e a arte do compromisso 

No entanto, a Bélgica multicultural nem sempre é vista sob uma luz favorável. Os imigrantes muçulmanos são discriminados e a “molenbeekophobia” é uma triste realidade. Em geral, os belgas sabem trabalhar juntos com tranquilidade para encontrar soluções. Em 2010, o país ficou sem governo por 589 dias e ainda continuou funcionando. A Bélgica até superou outras economias da zona do euro. 

Com exceção dos garçons e vendedores de loja, os belgas são incomparáveis quando se trata de compromissos. Se você for convidado para uma festa, a primeira pergunta que você fará é em que idioma você prefere falar. A Bélgica tem três línguas oficiais (francês, holandês e alemão), mas meus amigos belgas falam inglês muito bem e se viram em muitas outras línguas. 

Um bom sistema de saúde e educação 

Esse senso de justiça é parte integrante da cultura belga. A assistência médica é financiada pelo Estado, com uma parte, que varia em função dos rendimentos, reembolsada por fundos mútuos. Existem clínicas particulares, mas são raras. Muitos médicos praticam a medicina “integrativa”, o que significa que os pacientes podem escolher entre os tratamentos tradicionais ou alternativos. 

Escolas financiadas pelo estado atendem crianças a partir de dois anos e meio de idade, e creches generosamente subsidiadas oferecem alívio aos pais que voltam do trabalho. Kraamzorg, um serviço de assistência perinatal subsidiado, ajuda as mães durante os primeiros três meses após o parto. Além disso, existe um sistema de ajuda domiciliar subsidiado, acessível a todos, inclusive aos que não têm filhos. Segundo este sistema, uma hora de limpeza ou engomadoria custa nove euros, valores dedutíveis dos impostos até 30%. 

Incentivos fiscais 

Tudo isso tem um custo. As taxas de impostos estão entre as mais altas do mundo. Quem ganha mais de 40.480 euros é tributado em 50% sobre este valor. No entanto, os expatriados de alto escalão que trabalham em missões temporárias para um grupo internacional desfrutam de um status fiscal especial, sob o qual são considerados não residentes. E a situação está melhorando – eles também se beneficiam de descontos excepcionais de custo ao equipar suas novas casas. Graças a incentivos fiscais ainda mais favoráveis, um em cada três funcionários na Bélgica tem um carro da empresa, mesmo que as autoridades estejam agora promovendo alternativas mais ecológicas. 

É tão bom morar na Bélgica que muitos expatriados decidem se estabelecer lá permanentemente. A cada mês, noventa britânicos se candidatam à nacionalidade belga. Isso é chamado de “armadilha de Bruxelas” e poderia facilmente se aplicar a todo o país. Os expatriados ficam “presos” por uma mobilidade mais fácil, moradia acessível e a possibilidade de criar os filhos sem quebrar o banco. 

Uma verdadeira qualidade de vida 

E a Bélgica também é um país muito bom. A Bélgica tem a reputação de ser chata, isso é totalmente errado. Para quem a conhece, é uma mina de ouro para pintura, música alternativa, divertidas lojas pop-up (embora às vezes esquisitas), exposições e festivais de rua. Boom, uma pequena cidade tranquila, hospeda o Tomorrowland, o maior festival de música eletrônica do mundo. Com seu distrito da moda e suas boutiques escandinavas [design, flores, etc.], Antuérpia é particularmente atraente para criativos falidos, forçados a deixar Londres, Paris ou Amsterdã. 

Na Bélgica, nem tudo é diversão e batatas fritas. Com cerca de 200 dias chuvosos por ano, será difícil ficar sem guarda-chuva. A paciência também é essencial. O atendimento ao cliente é tão ruim que existe até uma conta dedicada no Twitter. Se você pedir algo fora do menu, um reembolso ou um tamanho diferente, é provável que seja respondido com um encolher de ombros: “não é possível”

Também não é o país mais fácil de se estabelecer. Leva tempo para descobrir seus encantos. Tive que dizer “adeus” e “totziens” em 2016, mas se pudesse fazer de novo, ficaria feliz em fazê-lo. Eu ficaria feliz em retornar aos seus belos parques e galerias de arte fabulosas, desfrutar de seu estilo de vida descontraído novamente.  

Você está planejando uma viagem só de ida para a Bélgica pelo Eurostar? 

Aqui estão 10 boas razões para se mudar para a Bélgica:  

Saúde: Em geral, a medicina é excelente na Bélgica. Os pacientes podem consultar um especialista diretamente, sem a necessidade de um clínico geral. A medicina alternativa é parcialmente reembolsada pelo Estado, em particular a osteopatia e a homeopatia. 

Escolaridade: Os jardins de infância são fortemente subsidiados e a escola é gratuita para crianças a partir de dois anos e meio. Há uma ampla gama de opções de educação, desde estabelecimentos católicos tradicionais a escolas progressivas Steiner, incluindo faculdades internacionais pagas. 

Impostos: Expatriados de nível executivo que trabalham em grupos internacionais ou centros de pesquisa se beneficiam de isenções fiscais muito generosas. Os subsídios adicionais dependem de casos individuais, mas geralmente incluem o custo de adequação do novo alojamento e até mesmo a educação dos filhos do expatriado. 

Idiomas: Os belgas costumam ser insultados por seus vizinhos franceses por sua velocidade mais lenta e curvas incomuns, mas os falantes de outros países sem dúvida acharão o francês belga mais fácil de entender. Na Flandres, a maioria das pessoas fala inglês fluentemente. Adicionar algumas expressões flamengas ao seu discurso vai lhe render sorrisos de espanto. 

Viagens: A Bélgica é cerca de oito vezes menor que o Reino Unido. Seu pequeno tamanho, mas também suas belas estradas, sua excelente rede ferroviária e sua adesão ao espaço Schengen tornam as viagens fora de suas fronteiras particularmente fáceis. Na própria Bélgica, você pode se locomover de bicicleta de forma muito agradável: as ciclovias cruzam grande parte do país. 

Cultura: Na Bélgica, o experimental se mistura bem com a cultura mais clássica. Arte renascentista, quadrinhos, arquitetura art nouveau e música eletrônica fazem parte da herança cultural belga. Festivais de música, moda e arte de renome internacional coexistem com eventos menores. Ou seja, o amador sempre terá o que comer. 

Multiculturalismo: É claro que o racismo e o preconceito continuam sendo um problema real, mas a Bélgica é maravilhosamente multicultural. É uma delícia ver uma população tão misturada em um espaço tão pequeno – de origem italiana, marroquina, chinesa ou da África Ocidental, turca, e brasileira, é claro. Isso não só torna o país mais interessante, como também possibilita a presença de alguns dos melhores restaurantes do mundo. 

Cozinha: Com uma população tão diversa de etnias e tantos viajantes a negócios na região, não é de se admirar que a Bélgica tenha alguns dos melhores restaurantes do mundo. Graças à refinada cozinha local e autênticos restaurantes estrangeiros, os expatriados nunca passarão fome na Bélgica. 

Humor: Quando você conhece os belgas, fica surpreso ao descobrir como eles são engraçados. Autodepreciação e besteira estão na ordem do dia. 

Ritmo: O ritmo lento de vida da Bélgica pode irritar os recém-chegados, mas os residentes acabam gostando muito. As lojas geralmente fecham aos domingos, tornando o país agradavelmente tranquilo nos fins de semana. 

Por Nina Hobson

AÇOUGUE COSTELA

Fácil acesso. 

à 5 minutos da Gare du Midi, em Saint-Gilles.

Espaço moderno de 130 m2.

Estacionamento privado com 8 lugares.

Compartilhe esta notícia

Receba conteúdos como este diretamente no seu email!

Receba conteúdos como este diretamente no seu email!